Bonito se prepara para receber turistas

DB INFORMA: Bonito reinventa e já se prepara para receber turistas na cidade

BONITO INFORMA | 19 Maio 2020

O Instituto de Desenvolvimento de Bonito se preocupa em oferecer segurança para os turistas, moradores e funcionários dos atrativos. Sempre pensando no bem-estar de Bonito e dos turistas que frequentam cidade, representantes do Turismo da Capital do Ecoturismo já estão buscando soluções de higiene para o município receber os visitantes com segurança.

O IDB (Instituto de Desenvolvimento de Bonito), juntamente com o Sesi (Serviço Social da Indústria), Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) e representantes de várias associações, participaram de reuniões on-line para tratar de protocolos necessários para fortalecer a segurança de turistas em uma eventual e futura retomada do Turismo na cidade.

O Presidente do IDB, Guilherme Polli, adianta que a Capital do Ecoturismo pretende voltar receber os visitantes nos próximos meses, mas salienta que Bonito já possui um diferencial em relação aos outros destinos. O setor também se preocupa em oferecer segurança para os turistas, moradores e funcionários dos atrativos.

“Os atrativos já trabalhavam com muito cuidado. Em Bonito não tem filas, os passeios são realizados sempre com um pequeno grupo de pessoas. Hotéis, pousadas possuem uma ampla área verde, além disso, os atrativos também possuem Sistema de Gestão de Segurança (SGS). Acredito que a cidade vai ter uma grande procura quando as coisas se acalmarem”, explicou o presidente do Instituto.

O Gerente do Sebrae de Bonito, Matheus Oliveira, também comentou sobre as reuniões para a elaboração do protocolo de biossegurança que será entregue para prefeitura.

“Representantes do trade turístico nos procuraram para apoiar na questão da criação do protocolo. Em uma parceria com o Sesi, participamos das reuniões com os empresários e estamos apoiando na realização técnica do documento. Realizamos o levantamento de tudo que estava acontecendo para começar a elaborar o protocolo. Quando todo trabalho já estiver concluído, o Sebrae vai disponibilizar consultoria para os empresários, orientando a implementação dos protocolos de biossegurança, para que eles consigam ajustar os pontos necessários. Apoiamos e estamos juntos com o setor”, destacou.

Michel Klaime Filho, gerente de Saúde e Segurança do Trabalho do Sesi MS, também comentou sobre a elaboração do protocolo.

“O Sesi está atuando para, acima de tudo, preservar a saúde das pessoas, a sustentabilidade das empresas e manutenção do emprego e renda. Estamos auxiliando empresas de diversos segmentos a manter as portas abertas, cumprindo todas as medidas de biossegurança e garantindo uma atuação segura para seus colaboradores e clientes. O Sesi tem expertise na área de saúde e segurança do trabalho e pode contribuir tecnicamente na elaboração de planos de contenção de risco específicos para cada segmento e, ainda, por meio de consultorias individuais para cada empresa, realizando um diagnóstico que vai orientar o empresário a promover ajustes para um funcionamento seguro”.

A 1.464 km de Brasília, há um município do Mato Grosso do Sul — com uma área de 4.934 km² — cujo nome já prevê toda a beleza do lugar. Esta é a cidade de Bonito, com cerca de 21 mil habitantes, que, por ano, recebe cerca de 230 mil pessoas. Os turistas movimentam uma economia de aproximadamente R$ 340 milhões na cidade.

O Jornal de Brasília viajou até a cidade a convite do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal (Sebrae-DF), em parceria com o Sebrae-MS, para falar sobre o ecoturismo da cidade.

“A gente quer que Brasília se transforme na grande porta de entrada para esses atrativos, e que a gente consiga deixar alguns dias essas pessoas no nosso Distrito Federal. Essa é a nossa intenção, para que as pessoas parem de entrar aqui em Bonito por São Paulo. Temos o pantanal também no Mato Grosso, um belíssimo atrativo. O próprio Goiás que está lá pertinho”, diz Valdir Oliveira, superintendente do Sebrae-DF.

Cerca de 50% do Produto Interno Bruto (PIB) de Bonito é usado para o ecoturismo, o que tem relação com os postos de trabalho, sendo 60% deles relacionados ao turismo local. Um dos fatores que demonstram a força do turismo na cidade é de que desde o ensino fundamental os alunos aprendem noções básicas de turismo.

SELO SANITÁRIO

Pensando na segurança de todos, empresários juntamente com parcerias de Bonito pensam longe e já estão buscando uma tendência observada em todo o mundo: o selo sanitário.

Em uma entrevista ao portal Correio do Estado, de Campo Grande, o secretário de Turismo, Indústria e Comércio de Bonito, Augusto Mariano, adiantou que a Capital do Ecoturismo é um destino de vanguarda, referência em atendimento para todo o Brasil e o mundo, por isso, em vez de abrir às pressas para os visitantes, os representantes do turismo na região buscam um selo de biossegurança.